jusbrasil.com.br
22 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região TRT-17 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA : RO 0000187-92.2017.5.17.0008

Detalhes da Jurisprudência
Partes
FABRICIO THEBIT BORTOLON, PATRICK VENTORIM COSTA, EMPRESA BRASILEIRA DE SERVICOS HOSPITALARES - EBSERH
Publicação
06/12/2018
Julgamento
8 de Novembro de 2018
Relator
CLAUDIA CARDOSO DE SOUZA
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

RECURSO ORDINÁRIO DA RECLAMANTE. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. AUSÊNCIA DE CONTATO PERMANENTE COM PACIENTE INFECTOCONTAGIOSO.

A NR 15 prevê o direito ao adicional de insalubridade, em grau máximo, para o trabalho e operações em contato com pacientes ou materiais infectocontagiante. Nesse passo, constado em laudo pericial que os reclamantes, exercentes da função de Médico Ecocardiografista, mantinham contato de forma eventual e episódico com pacientes em área de isolamento, é indevido o adicional de insalubridade em grau máximo.
Disponível em: https://trt-17.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/656673883/recurso-ordinario-trabalhista-ro-1879220175170008

Informações relacionadas

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região
Jurisprudênciahá 7 meses

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região TRT-2 : 1000273-93.2020.5.02.0061 SP

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região TRT-2 : 1002118-98.2016.5.02.0030 SP

Tribunal Superior do Trabalho
Jurisprudênciahá 7 anos

Tribunal Superior do Trabalho TST - RECURSO DE REVISTA : RR 646-40.2011.5.04.0017